Instagram

Secretário de Cultura participa do projeto A Voz da Memória, da Escola Técnica Profissional

Na manhã da última sexta-feira (7) os professores Assis Severo e Sanderson Tavares da Escola Técnica Federal Leopoldina Quezado de Aurora, estiveram na sede da secretaria de Cultura do município, ocasião em que registraram em vídeo a participação do secretário da pasta José Cícero. O tema abordado foi a seca de 1970 e os seus principais desdobramentos sociais e econômicos, além de outros aspectos relativos ao assunto. O tema fará parte do projeto "A Voz da memória, registrando a história de Aurora", uma iniciativa pioneira que vem sendo desenvolvida pelos professores junto ao alunado daquele estabelecimento de ensino. O referido projeto, por sinal, já conquistara a 2ª colocação na última feira regional promovida recentemente pela Crede na cidade de Brejo Santo. Segundo o professor de história Assis Severo, um dos idealizadores do trabalho; a proposta é colher uma série de depoimentos populares, de pessoas residentes tanto na sede quanto na zona rural, além de entrevistas e informações junto à intelectuais, historiadores e pessoas que conviveram diretamente com a estiagem de 1970 no município, informou. Em suma, contar e recontar a história de Aurora tendo como ponto de partida a própria oralidade do seu povo. Eis o ponto central que constitui o principal propósito do trabalho que vem sendo executado pelos professores aurorenses. Todas as imagens, dados e informações serão reunidos num vídeo-documentário que será depois exibido na escola e em outros espaços educacionais. Portanto, como mais um instrumento pedagógico a ser utilizado em sala de aula, na disciplina de história e afins. Uma forma de ajudar a melhor preservar a memória aurorense e contribuir com o conhecimento e difusão da verdadeira história de Aurora. "A nova pedagogia que nós como professores tanto aspiramos, assim como a educação moderna e emancipadora a que todos se propõem, não pode prescinde idéias, ações e boas iniciativas como estas", enfatizou o secretário José Cícero. "Diante de projetos inteligentes e ousados como este que não mexe apenas com a área de história, é que temos, eu diria, a obrigação de ajudar, contribuir e acreditar numa verdadeira revolução do nosso processo educacional. Assim como na elevação dos nossos atuais índices de aprendizagem. Simplesmente, porque dentre outras coisas, este trabalho promove a motivação necessária e o interesse participativo dos nossos estudantes. De modo que este não deixa de ser um método freiriano, bastante positivo e producente. E que por sua vez, além de pôr um fim aos mecanismos estaques de ensino e aprendizagem, quebra também paradigmas arcaicos e criando novas esperanças e perspectivas para uma educação diferente e possível. Razão dos meus efusivos parabéns a todos os que estão envolvidos com este projeto audaciosa e pioneiro", finalizou. Da Redação do Blog de Aurora e do site Cariri de Fato.